15 junho 2012

Dia do Padrinho: momento mais que especial

Patrícia Brant, madrinha
Hoje, dia 15 de junho de 2012, é uma data muito especial para os parceiros, funcionários, e apadrinhados do ChildFund Brasil. É o dia daquela pessoa que ajuda, de coração aberto, a mudar a vida, a semear esperança e a construir o futuro de muitas crianças em situação de vulnerabilidade social: o nosso querido Padrinho.

Reconhecendo o valor dessa importante figura, nossas organizações parceiras por todo o país programaram comemorações de todos os tipos. Algumas estão celebrando desde o começo da semana, outras tiraram o dia inteiro de hoje para realizar eventos muito legais para afilhados, famílias e padrinhos em suas sedes. Em Belo Horizonte, a festa ficou por conta do Conselho de Pais Criança Feliz, que realizou uma exposição de fotos do célebre projeto “Olhares em Foco”, clicadas por crianças atendidas pela instituição.

Vagner do Santos, padrinho
Exposição Olhares em Foco

Diversos padrinhos e madrinhas da capital marcaram presença na exibição, e aproveitaram o momento para pensar sobre a importância do programa de apadrinhamento, e a diferença que seu ato, ainda que pequeno para eles, pode fazer na vida de uma criança, de sua família e comunidade. Vagner do Santos, padrinho de três meninas, mora atualmente em Belo Horizonte, nasceu no Vale do Jequitinhonha e entende bem esse impacto. “Em algumas regiões [do Vale do Jequitinhonha] as pessoas não tem apoio, contam somente com as ações do governo, que não são suficientes. Quando surge uma organização séria como o ChildFund Brasil ajuda muito. Vocês não sabem o quanto”, diz Vagner. 

Raquel Amaral, supervisora do Conselho, ressalta como o apadrinhamento é importante emocionalmente para as crianças. “Convivendo com as crianças apadrinhadas eu vejo como o padrinho pra eles é importante. Não é só o recurso, eu acho que a afetividade, o relacionamento é o grande diferencial, eles se sentem amados e cuidados por outra pessoa além da família”.
Ayrton Alves, padrinho
Cartinhas

Esse laço emocional é reforçado com o hábito adquirido por muitos padrinhos e afilhados de se comunicar por carta. “As cartas que eu recebo, eu tenho todas arquivadas, eu guardo, de vez em quando eu releio. Meu afilhado escreve sempre “minha vó”, e isso me emociona muito, ressalta Zilca Amaral, madrinha há mais de 15 anos.

Para muitos padrinhos, a principal motivação é fazer a diferença. “Quando a gente participa de uma iniciativa como essa, e que abre espaço pra todo mundo, pra todos os cidadãos, cada um de nós faz um pouquinho e se sente parte do todo, com a oportunidade de dar uma vida melhor e um futuro melhor para essas crianças”, diz a jornalista Patrícia Brant, madrinha há um ano.

Fazer a sua parte não é muito difícil. Além de apadrinhar, todos podem fazer como Ayrton Alves, que recomenda o apadrinhamento para os amigos. “Recomendo para todos. Já arranjamos uns 10 padrinhos”.

0 comentários:

Postar um comentário