14 agosto 2012

Transparência no combate à pobreza infantil

O ChildFund Brasil – Fundo para Crianças acaba de divulgar o seu Relatório Anual de Atividades, com informações relativas a 2011. O documento de 71 páginas presta contas sobre as ações, programas e projetos sociais desenvolvidos no último ano e as demonstrações financeiras do período, devidamente auditadas.

“É o mais completo instrumento de que dispomos para fortalecer o nosso compromisso com a transparência”, considera o diretor nacional, Gerson Pacheco. O relatório foi enviado a doadores, parceiros, apoiadores e está disponível na íntegra para toda a sociedade por meio do link http://www.childfundbrasil.org.br/app/conteudo/transparencia/2012/08/02/transparencia,405/relatorio-anual-de-atividades-2011-childfund-brasil.shtml.

A instituição investiu em 2011, através de seus padrinhos e doadores, nada menos que R$ 22,8 milhões. Este montante foi aplicado na execução de 301 projetos sociais que beneficiaram diretamente mais de 220 mil pessoas, entre crianças, adolescentes e suas famílias. Dentre os beneficiados, 140 mil são crianças e jovens. As ações, que prosseguem em 2012, são realizadas em parceria com 92 organizações sociais localizadas em 862 comunidades brasileiras. No Ceará, estado que concentra a maior parte das ações, são 105 projetos conduzidos em Fortaleza e 65 na região do Cariri, no sertão cearense. Já em Minas Gerais, segundo estado mais atendido, Belo Horizonte é beneficiada com 45 projetos e o Vale do Jequitinhonha com 91.

A maior parte dos recursos são captados por meio do Programa de Apadrinhamento, que é a força motriz da organização. O padrinho pode ser qualquer pessoa que se comprometa mensalmente com uma contribuição mínima de R$ 52. Em 2011, o número de crianças apadrinhadas chegou a 52 mil, sendo 10 mil amparadas por padrinhos brasileiros e 42 mil apadrinhadas por estrangeiros. O valor doado não é entregue diretamente à criança ou à sua família; é investido na execução de projetos sociais de acordo com a necessidade de cada comunidade.

Desafios


Se por um lado o documento traz resultados positivos, por outro traça um horizonte de muitos desafios nos próximos anos para que a entidade cumpra sua missão de superar a pobreza infantil das crianças brasileiras. O documento mostra que dentre os 16,2 milhões de pessoas que vivem em situação de pobreza extrema no Brasil, nada menos que metade delas (8 milhões) são crianças e adolescentes. Entende-se por pobreza extrema ou miséria, pessoas que vivem com até R$ 70 por mês.

A instituição está em campanha para difundir a cultura do apadrinhamento no Brasil, prática já consolidada em outros países. “É na expectativa de que brasileiros possam apoiar o desenvolvimento de outros brasileiros em situação de exclusão social que o Programa de Apadrinhamento vem se consolidando no país como uma opção eficiente e segura para aqueles que desejam atuar na valorização, proteção e promoção dos direitos das crianças na sociedade”, observa Gerson Pacheco.

Em 2011, o ChildFund Brasil buscou consolidar novas parcerias, fortalecer a governança institucional e ampliar a atuação da equipe de profissionais que trabalha nas comunidades. Outro passo importante dado no ano passado foi a mudança da marca. O antigo Fundo Cristão para Crianças passou a se chamar ChildFund Brasil – Fundo para Crianças. Com isso, alinhou sua marca com a da rede ChildFund International, presente em 55 países. Gerson Pacheco observa que o know-how de 46 anos do ChildFund Brasil tem feito com que a entidade se torne, cada vez mais, uma referência para as corporações que desejam realizar investimentos sociais. “Empresas nos procuram para palestras, consultorias, todas interessadas em nossa experiência”, diz.

ASSESSORIA DE IMPRENSA
Flavia Presoti
flavia@flaviapresoti.com.br
(31) 9952-6028

Alexandre Farid
alexandre@flaviapresoti.com.br
PABX: (31)2511-9707
(31) 9187-1400
www.flaviapresoti.com.br

0 comentários:

Postar um comentário