03 dezembro 2012

Jovem de 15 anos representa São Gonçalo do Amarante/CE na IX Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente em Brasília

Adolescente de organização parceira do ChildFund Brasil – Fundo para Crianças representa município cearense na Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

Neste ano, Brasília recebeu uma turma de mentes prontas para mudar a realidade de milhares de crianças e adolescentes de nosso país: a IX Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente que reuniu jovens de todos os estados do país no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. O evento contou com o discurso da Presidente Dilma Rousseff e com atividades variadas.

A Conferência tem como objetivo geral mobilizar a população e o Sistema de Garantia de Direitos - SGD para a implementação e o monitoramento da Política Nacional e do Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes.

Participante ativa das atividades da Associação União das Famílias - AUFAM, organização social parceira do ChildFund Brasil – Fundo para Criança, Sarah da Costa Barbosa, de apenas 15 anos, representou o município de São Gonçalo do Amarante no evento, após passar por processos seletivos no município onde mora, no estado do Ceará.

“Nunca viajei para fora do meu estado e conhecer Brasília para participar da Conferência foi muito legal. Foi como se eu tivesse conhecido todos os estados brasileiros, porque cada jovem tinha um jeito diferente, tanto de falar e se expressar nas brincadeiras”, conta Sarah. A troca de experiências entre os participantes promoveu amizades e ricas discussões sobre etnias e orientações sexuais.

Durante a Conferência, os jovens foram envolvidos em plenárias, menções e atividades culturais. A cobertura jornalística foi feita por jovens educomunicadores. Além disto, os jovens do G27, formado por representantes dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal, concederam palestras, participaram das atividades culturais e animaram as plenárias.

Diversos eixos de discussão foram organizados. Porém, os jovens se mostraram fortemente preocupados com a questão do uso do álcool e das drogas na juventude. Algumas medidas, elaboradas pelos jovens nos eixos de discussão tinham por objetivo afastar os jovens da busca por este tipo de substância: “a ideia era fazer com que o jovem tivesse um maior conhecimento sobre o álcool e as drogas. Sugerimos intervenções de educação, segurança e lazer”, disse Sarah. “Seria legal que existissem mais projetos para estimular o protagonismo jovem, com mais estímulo à participação juvenil na política dos municípios. É muito difícil ver jovens de 14 a 18 anos com este tipo de participação em suas cidades. O melhor jeito de conseguir amenizar problemas como a gravidez na adolescência, o uso de drogas ilícitas e a violência é por meio dos jovens porque sabemos o que está se passando na nossa cabeça e imaginação”, acrescentou a jovem.

O último dia de plenária foi festejado com a participação de todos os estados brasileiros no palco principal, representados por bandeiras orgulhosamente hasteadas por jovens e educadores.
“A IX Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente foi um experiência gratificante pra mim e ampliou meu aprendizado. Participar de um evento tão importante como esse me fez reconhecer o valor que a voz jovem tem no meio social e também político. Percebi que podemos sim fazer a diferença e correr atrás de nossos direitos, batalhar e fazer acontecer mudanças no nosso País”, conclui a jovem cidadã cearense.