14 novembro 2013

Atuação do ChildFund em Ormoc

O ChildFund está em campo para socorrer as vítimas do tufão Haiyan nas Filipinas. Mais de 9 milhões de pessoas, incluindo 4,5 milhões de crianças, foram afetadas naquele país. Muitos agora estão lutando para sobreviver sem comida, abrigo e água potável. Teme-se que pelo menos 10 mil pessoas tenham morrido e milhares de sobreviventes desesperadamente necessitam de ajuda. O presidente filipino Benigno Aquino declarou estado de calamidade nacional, e a ONU pediu uma "resposta em massa " para o desastre humanitário.


O ChildFund está em Ormoc, nas Ilhas Leyte, onde 90% do território está devastado. Erwin Galido , líder da equipe de emergência do ChildFund, disse: "Muitas vidas foram ceifadas e há muitos saques. A comida vai acabar em três dias. Se a ajuda não chegar aqui muito em breve, as pessoas vão ficar desesperadas e a situação vai piorar."

Uma das tempestades mais fortes já registradas em terra firme, o Haiyan atingiu as províncias costeiras de Leyte e Samar no dia 8 de novembro. Em seguida, rumou para o oeste, varrendo seis ilhas da região central das Filipinas. O ChildFund chegou às comunidades isoladas desde a tempestade em Bacolod, Roxas e Iloilo. Katherine Manik , diretora nacional do ChildFund nas Filipinas, disse: "A extensão total da devastação ainda é incerta. Há uma grande necessidade em muitas comunidades. O objetivo a curto prazo do ChildFund é suprir as necessidades imediatas das pessoas afetadas pela tempestade. Estamos distribuindo alimentos, água e outros itens de primeira necessidade em campos de refugiados e também estamos dando apoio psicossocial para crianças através da criação de espaços apropriados para elas. As crianças estão claramente traumatizadas".

No momento, o ChildFund está concentrando seus esforços em Iloilo, Roxas, Negros Ocidental e Ormoc, onde trabalha com organizações parceiras locais. Segundo Katherine Manik, "Com esses parceiros locais, o ChildFund está em uma posição forte para responder aos desastres. Eles auxiliam na distribuição de itens de ajuda humanitária para as necessidades imediatas das vítimas e mobilizam voluntários. Eles também apoiam a coordenação local, pois têm um forte relacionamento com as unidades governamentais locais. Os parceiros locais são a chave para a resposta de emergência".

0 comentários:

Postar um comentário